"Tango da Amargura"
Um dia acordei amargurada e escrevi uma canção. Transformei em melodia o drama que vivia e em harmonia o que antes foi inquietação. O resultado tomou forma de disco. Houve altos, baixos, conquistas, fracassos. Tudo aprendizagem. Todos os dias uma oportunidade para ser a melhor versão de mim mesma. Hoje estou feliz. Há mais uma conquista a celebrar. Desta vez música, vídeo e dança empenharam esforços para tornar realidade este projeto que hoje partilho convosco.

"Como soam as canções de amor?" Foi a primeira frase que surgiu a Isabel Mesquita numa folha de papel em branco, à espera que lhe fosse contada uma história. Fala-se de amor e de como nos sentimos quando nos apaixonamos, dos cheiros, das sensações e da descoberta. Beatriz Bagulho dá cor à folha de papel em branco e conta a mesma história através da animação, espelhando a metamorfose da personagem no desenrolar da canção.

"Fiz um conto para me embalar" é um conto cantado, pelas fadas embalado, que nos adormece ao acordar. Natália Correia vive ainda nesta praia, as suas palavras estão cravadas nas rochas de basalto negro em forma de poesia, e agora, em conto-canção.